Kits Visuais

KITREFILTIPORANGERESULTADOMÉTODO
K-6701R-6702CHEMets0-7 ppmComparação VisualCatechol
K-6702R-6702CHEMets2-24 ppmComparação VisualCatechol
K-6720R-6720CHEMets20-200 ppmComparação VisualCatechol

Kits Fotométricos

KITTIPORANGERESULTADOMÉTODO
K-6703Vacu-vials1.0 a 25.0 ppmFotométricaCatechol

Molibdato

Método: Catechol

Referências: G.P. Haight and V. Paragamian, Analytical Chemistry, pp. 32, 642 (1960).  H. Onishi and E.B. Sandell, Photometric Determination of Trace Metals, 4th ed., Part 1, p. 295 (1978). 

Em solução alcalina e levemente redutora, o catechol reage com o molibdênio hexavalente para formar um composto de cor amarela-alaranjada com intensidade. A intensidade da cor formada mantém proporção direta com a concentração de molibdênio hexavalente inicialmente presente na amostra. Os resultados são expressos em ppm (mg/l) Mo.

 

O molibdato é amplamente utilizado em tratamento de águas industriais e em usinas de geração de energia como um inibidor de corrosão em ciclos tanto abertos como fechados. Em solução, os ânions molibdato complexam com o ferro oxidado para formar uma película protetora de molibdato e óxido férrico. O molibdato é considerado uma efetiva e ambieltalmente aceitável alternativa aos tratamentos formulados com cromato. Ao contrário de muitos outros elementos de transição, o molibdênio apresenta uma toxicidade baixa ou mesmo negligenciável.